Telefones para contato: (21) 2491-9683 / (21) 3154.4000

Faça parte de nossas redes sociais:

Twitter Interneuro FaceBook Interneuro Orkut Interneuro

Reportagens

Jornal da Record | Duração: 4m38s

Repórter Record | Duração: 8m35s

Globo Reporter | Duração: 10m24s

Ver todas Reportagens

Parceiros

Parceiro Interneuro - Hospital Santa Tereza Rua Paulino Afonso, 477
Centro - Petrópolis - RJ, 25684-900
(24) 2233-4600

Vocabulário Médico

ADS (Angiografia Digital por Subtração): Na Angiografia Digital por Subtração (ADS), a imagem é produzida por meio da subtração de radiografias sem meios de contraste de radiografias obtidas após o meio de contraste ser administrado. O resultado deste processo de subtração é a visualização de vasos preenchidos por meios de contraste livres de estruturas sobrejacentes. Esses procedimentos envolvem o uso de equipamento eletrônico específico, incluindo "hardware" de computação e radiográfico, para produzir rápidas imagens seqüenciais.

Aneurisma: Dilatação localizada na parede de uma artéria ou do coração, decorrente de uma enfraquecimento ou lesão de sua parede.

Angina de peito: Também chamada de angina pectoris. Caracteriza-se por dor intensa no peito, geralmente tipo "aperto" e que com freqüência apresenta irradiadação para o braço e ombro esquerdo. A angina é provocada pela diminuição do fluxo de sangue para uma área do coração.

Anti-agregante plaquetário: Droga que atua diminuindo a capaciadde de agregação das plaquetas e consequentemente diminui a coagulabilidade do sangue. Ex: AAS, Ticlopidina e Clopidogrel.

Aorta: Grande artéria que nasce do ventrículo esquerdo do coração e que transporta sangue arterial para suprir todo corpo humano.

Aortoplastia: Consiste na dilatação de um estreitamento (estenose) da artéria aorta utilizando-se um cateter balão ou implante de uma prótese (endoprótese vascular - stent).

Angiocardiografia: Visualização da luz dos vasos e das cavidades cardíacas utilizando-se um contraste radiológico normalmente a base de Iodo. Desta forma pode-se analisar a presença ou não de defeitos cardíacos congênitos, lesões em válvulas cardíacas, e a função contrátil do músculo cardíaco.

Angiografia: visualização da luz do vaso ao injetar contraste radiológico.

Angioplastia: Técnica não cirúrgica para tratamento de doenças arteriais. Consiste em insuflar temporariamente um cateter-balão no interior do vaso para corrigir um estreitamento.

Angioplastia transluminal coronária: É uma técnica não cirúrgica para desobstrução de artérias coronárias em casos selecionados. É realizada utilizando-se um cateter com um balão insuflável em sua extremidade que é colocado ao nível da lesão, dentro da artéria coronária. Em seguida o balão é insuflado comprimindo a placa aterosclerótica contra a parede do vaso, aumentando a luz do mesmo e melhorando a passagem de sangue para o músculo do coração.

Arritmia cardíaca: Anormalidade ou irregularidade dos batimentos cardíaco. Diversos são os tipos de arritmia cardíaca.

Artérias: São os vasos que transportam o sangue do coração para todo o corpo humano.

Artérias coronárias: São os vasos que irrigam o coração com sangue rico em oxigênio e nutrientes.

Arteriografia: Opacificação através da utilização de contraste de qualquer artéria do corpo humano.

Arteriografia seletiva: Opacificação seletiva de uma artéria utilizando-se um cateter para injetar contraste.

Arteríolas: Pequenos ramos arteriais que regulam a resistência ao fluxo sanguíneo. Estruturalmente suas paredes são ricas em fibras musculares e também são conhecidos como vasos de resistência, pois quando se contraem aumentam a pressão arterial do sangue.

Ateroma: Depósito de gordura, calcificada ou não, que causa estreitamento do vaso sanguíneo. Também conhecida por Placa de Ateroma ou Placa Aterosclerótica.

Atriosseptostomia: Técnica em que se utiliza um pequeno cateter balão para promover a abertura (ruptura) do septo interatrial, tracionando-se o cateter desde o átrio esquerdo até o direito. Utilizado em recém-natos com alguns tipos de cardiopatia congênita muito graves, em que se faz necessário uma melhor mistura do sangue arterial e venoso, para manutenção da vida enquanto aguarda o melhor momento para uma cirurgia cardíaca reparadora.

Capilares: Vasos sanguíneos microscópicos que se situam entre arteríolas e vênulas, isto é entre artérias e veias, que distribuem o sangue oxigenado para os tecidos do corpo.

Cardiologia: Ciência que estuda o sistema cardiovascular. É a especialidade médica que previne e trata doenças do coração.

Cardioversão elétrica: Uma técnica em que se aplica um choque elétrico no tórax para reverter uma anormalidade do batimento cardíaco, utilizando-se um aparelho chamado cardioversor.

Cateterismo cardíaco: Método em que se punciona ou disseca uma veia ou artéria periférica e se introduz um tubo fino e flexível, chamado cateter, até os grandes vasos e o coração, com a finalidade de se analisar dados fisiológicos (pressões cavitárias, obter amostras de sangue para dosagem do oxigênio), funcionais (débito , volumes ventriculares) e anatômicos (trajeto de cateter e injeção de contraste). Apesar da história, exame físico, eletrocardiograma, radiografia de tórax, teste ergométrico, medicina nuclear, ecocardiograma, etc. fornecerem dados consideráveis sobre a função e fisiopatologia cardíaca, o cateterismo cardíaco pode auxiliar na obtenção de uma série de dados adicionais que contribuirão para um diagnóstico exato e conseqüentemente na indicação do tratamento mais adequado.

Cateterismo cardíaco diagnóstico: Quando o procedimento visa apenas o diagnóstico e a quantificação de lesões quando presentes.

Cateterismo cardíaco direito: Quando se utiliza uma veia do braço ou da perna, progredindo-se o cateter até a veia cava superior ou inferior, átrio direito, ventriculo direito, tronco e ramos da artéria pulmonar e leito distal da circulação pulmonar para registro de pressões.

Cateterismo cardíaco esquerdo: Técnica em que se utiliza uma artéria periférica e se progride o cateter sob visão direta (fluoroscópica) até a raiz da aorta e cavidade ventricular esquerda.

Cateterismo cardíaco terapêutico: Quando o procedimento visa o tratamento de uma lesão coronária ou algum defeito cardíaco.

Cianose: Tonalidade azulada que assume a pele e mucosas em determinadas condições, geralmente devido ao aumento da hemoglobina reduzida no sangue circulante. É encontrada em recém-natos com defeitos congênitos do coração. Mais raramente está relacionada a presença de outros pigmentos.

Cineangiocardiografia: Visualização da luz de um vaso sangüíneo ou de cavidade cardíaca utilizando substância contrastante ao Rx, documentada em sistema digital de imagem.

Cineangiocoronariografia: Visualização da anatomia e luz das artérias coronárias utilizando-se um contraste radiológico.

Circulação colateral: Fina rede de vasos que se forma, próximo ao local da obstrução de um vaso maior, na tentativa do organismo de manter o fluxo sanguíneo ao leito distal comprometido.

Contraste: Substância injetável utilizada para visualização dos vasos sangüíneos e estruturas cardíacas. Existem várias substâncias contrastantes. As mais utilizadas são fabricadas à base de Iodo.

Coronária: Nome dado às artérias que irrigam o músculo cardíaco.

Débito cardíaco: Volume de sangue que é bombeado pelo coração no sistema circulatório, por minuto.

Dissecção aórtica: É a separação longitudinal e circunferencial da camada média da parede da aorta em extensão variável e normalmente causa dor intensa no tórax e/ou abdome.

Desfibrilador: Aparelho utilizado para disparar um "choque" capaz de reverter uma arritmia cardíaca tipo fibrilação atrial ou ventricular em um ritmo cardíaco normal.

Endarterectomia: Remoção cirúrgica de uma placa (aterosclerótica) situada na luz de uma artéria.

Endocárdio: Membrana que reveste a superfície interna do coração.

Embolização: O procedimento do fechamento proposital de artérias que suprem áreas anormais como tumores, aneurismas e malformações vasculares se valendo de pequenas esferas é denominado como embolização terapêutica, o qual tem como função retirar o suprimento sangüíneo das áreas anormais.

Endotélio: Membrana que reveste a superfície interna dos vasos sanguíneos.

Epicárdio: Membrana que reveste a superfície externa do músculo cardíaco.

Fibrinolíticos: Drogas utilizadas para dissolver coágulos sanguíneos recentes, também chamadas de drogas trombolíticas. São utilizadas nas primeiras horas do infarto agudo do miocárdio para dissolver o coágulo que está obstruindo o fluxo arterial coronário. Podem também ser utilizadas em outras situações como embolia pulmonar e trombose de próteses valvares do coração. As drogas mais utilizadas em nosso meio são a estreptoquinase e o r-tpa.

Fração de ejeção: Representa o percentual do volume sanguíneo ventricular diastólico final ejetado em cada sístole.

Hemodinâmica: Estudo dos movimentos e pressões da circulação do sanguínea.

Infarto do miocárdio: Entidade clínica grave causada pela obstrução completa de uma artéria coronária e que ocasiona um dano irreversível ao músculo cardíaco decorrente de um inadequado suprimento de sangue arterial.

Insuficiência cardíaca: Incapacidade do coração de enviar quantidade de sangue suficiente para as necessidades metabólicas dos tecidos do corpo humano.

Isquemia: Diminuição do fluxo de sangue para um orgão, geralmente devido à obstrução parcial de uma artéria.

Isquemia miocárdica: Diminuição do fluxo de sangue para o músculo cardíaco provocando danos normalmente reversiveis ao coração.

Isquemia silenciosa: Episódio de isquemia cardíaca sem manifestação de dor torácica.

Manometria: Medida das pressões tanto em cavidades do coração como nos grandes vasos.

Miocárdio: Músculo cardíaco que forma as paredes do coração. A sua contração ritmica impulsiona o sangue das cavidades ventriculares para as grandes artérias.

Marca-passo cardíaco artificial: pequeno aparelho implantável cirurgicamente para restaurar o ritmo cardíaco normal.

Plaquetas: Elementos responsáveis, entre outros, pela coagulação do sangue.

Regurgitação: Refluxo anormal do sangue através de uma valva cardíaca defeituosa e incompetente.

Risco coronário: Condição que leva o paciente a um risco aumentado de desenvolver doença coronária. Os principais fatores de risco para doença coronária são o Diabetes Mellitus, a hipertensão arterial, tabagismo, dislipidemia, obesidade, sedentarismo e fatores hereditários.

Sistema circulatório: Sistema constituído pelo Coração, Vasos Sanguíneos e Circulação do Sangue.

Stent coronário: São molas ou malhas metálicas, na maioria de aço inoxidável, que são implantadas nas artérias coronárias para tratamento de lesões ( obstruções ) e servem para manter as paredes do vaso afastadas entre si e manter a placa de gordura aderida à parede. São utilizados em angioplastias em que o vaso oclui agudamente e também com a finalidade de diminuir a reestenose pós angioplastia. A sua introdução na artéria se faz utilizando um cateter balão, ao qual ele é sobreposto. Ao nível da lesão, insufla-se o balão distendendo o stent. Após a desinsuflação do balão, retira-se o cateter, ficando o stent devidamente posicionado.

Válvula cardíaca: São estruturas que regulam a direção do fluxo sanguíneo no interior do coração e nos grandes vasos que emergem dos ventrículos direito e esquerdo do coração.

Valvoplastia com cateter balão: utiliza-se cateteres balões que ao serem distendidos ao nível de válvulas estreitadas (estenóticas): pulmonares, mitrais, aórticas, tricúspides, ocasionam a abertura das mesmas permitindo uma adequada passagem de sangue.

Veias: Vasos que transportam o sangue do corpo para o coração.

Ventrículo esquerdo: Cavidade do coração responsável pelo "bombeamento" do sangue oxigenado proveniente dos pulmões para todo o organismo.

Telefones para contato: (21) 2491-9683 - Ramal: 28 / (21) 3154.4000

Em Caso de emergência ligue: (21) 9649.4157

Interneuro © 2012 | Todos os Direitos Reservados